segunda-feira, 25 de maio de 2009

A primeira vez…

… que vi um jogo do Benfica na nova Catedral, foi contra o Vitória de Setúbal, o ano passado, para a Carlsberg Cup. Apesar de termos empatado dessa vez, e chegámos ao empate quase no final do jogo com um golo do Adu, a sensação de entrar na Catedral foi… Mágica!

O meu tio tinha arranjado bilhetes para ir ver o jogo Benfica – V. de Setúbal e quase à última da hora é que me avisou que iríamos ver o jogo! Não tive tempo para nada, agarrei na minha mala e pus-me a andar para o Estádio, e vejam lá que nem cachecol levei – uma vergonha! :)
Passámos os bilhetes naquelas máquinas - que eu não sei o nome - e começámos a subir as escadas para as bancadas.
Os poucos degraus que subi pareciam uma eternidade. Nunca mais chegava o momento de olhar lá para baixo.
O meu coração batia cada vez mais forte e quando cheguei às últimas escadas, aquelas que nos davam acesso aos lugares, parecia ter ficado estática.
A partir daquele momento, tudo se passou em câmara lenta, tal como nos filmes.
Comecei a subir as escadas e à medida que me ia aproximando da bancada, fortes luzes brilhantes cativavam os meus olhos. Descobri um mar vermelho de gente que se encontrava nas bancadas opostas e os seus cachecóis rodopiavam sincronizados ao som do cântico de fundo.
Ao chegar ao topo das escadas, corri para ver que mais se passava lá em baixo e, coincidência ou não, a primeira pessoa que vi no relvado foi mesmo o Di María. Fiquei radiante! Os meus olhos já brilhavam mais do que as luzes que iluminavam a nossa casa!
Por fim, sentei-me no lugar que já me estava destinado e voltei a olhar lá para baixo. Desta vez, procurei cada jogador, um a um, e ia repetindo em voz alta os nomes que flutuavam na minha mente.
Sentia-me feliz. E cada vez que me recordo daquela noite, mais feliz fico.


Sim, eu sei, que em mais lugar algum, eu iria sentir o mesmo que senti.
A mesma emoção, o mesmo sentimento, a mesma paixão. Porque eu AMO e assumo que para mim, como o Benfica, não existirá igual…!

6 comentários:

JAS disse...

As máquinas chamam-se torniquetes.

Cumprimentos.

prl disse...

Quem ama assim um clube, so tem que assumir.

Qual de nós nunca passou por isso?

Eu já fui muitas, muitas vezes, alias vou quase sempre e a aemoção continua a ser a mesma, é Igual.

A é mesmo e só ao ver o DiMaria LOL

Gil Vicente disse...

Cara Patrícia, Infanta, Princesa ou Baronesa - não perguntei ao nosso General e Comendador das Ordens - a gente sente-se ali, naquela Catedral, tão pequenina, não é?

Só há uma coisa enorme, uma coisa que não nos cabe dentro do peito: O nosso Coração de Amor Benfiquista.

Seja infanta, Princesa ou Baronesa, é uma enorme e querida Benfiquista, do lote daquelas tão lindas, belas Flores do Benfiquismo, todas elas cujo coração pulsa desenfreadamente por Amor ao nosso Glorioso.

Anónimo disse...

Que emoç~ao t~ao forte ao ler este post ... indiscritivel ... tamb´em eu tenho vontade de estar nesse mundo m´agico ... e poder definir o momento ... e poder comemor´a-lo a cada minuto :) ...

Ficar´a sempre na mem´oria de cada um ... inesquec´ivel ...

Benfica Sempre ...

Viriato de Viseu disse...

Que emoção temos quando se visita pela primeira vez o nosso TEMPLO.

Quando lá fui, estava uma enchente o que torna ainda mais delirante!!!

GIL VICENTE,
A nossa Patricia é uma INFANTA.

Tal como a Micaela.

Princesas são as Ana e Lua

Baronesas, Gina e Fernanda

Rainha é...a Rainha!!!!
Entendido?

Gil Vicente disse...

Vou tomar nota, meu General

INFANTA Patrícia, as minhas reverenciais vénias por tão tenros, verdes e florescentes aninhos tão amorosos para o nosso Benfica.
Ele é mesmo Glorioso!